domingo, 20 de agosto de 2017

Pré-Jogo: Manchester City x Everton (Premier League 2017/18, 2ª Rodada)



O Everton viaja até a cidade de Manchester para, no Etihad Stadium, encarar o Man City na partida que encerra a 2ª rodada da Premier League.

Ambas as equipes triunfaram na primeira jornada da Liga e assim buscam dar sequência em campanhas positivas nesse inicio de competição.

Histórico Recente:
Nos últimos cinco embates entre Everton e Man City foram três empates e uma vitória para cada lado, sendo o triunfo dos Toffees, a inesquecível goleada por 4x0 marcada pela grande atuação do garoto Tom Davies.

Curiosidade:
Rooney pode chegar a marca de duzentos gols na Premier League. O único jogador que atingiu tal feito foi Alan Shearer (260 gols).

O que dizem os treinadores:
O espanhol Pep Guardiola qualificou o time do Everton como um dos melhores da Premier League: "Eles tem um ótimo elenco e fizeram boas aquisições. Certamente estão entre as melhores equipes da Liga".

Já o holandês Ronald Koeman falou sobre a utilização do recém contrato Gylfi Sigurdsson no duelo que se apresenta: "Nós temos uma semana muito difícil e ele ( Sigurdsson ) estará em todos os jogos".
Apesar do Islandês ter mantido a boa forma parece improvável sua presença entre os titulares.
Gylfi deve entrar durante a partida.

Maior contratação da história do clube, Gylfi Sigurdsson pode estrear contra o Man City.

Prováveis escalações:

EVERTON: Pickford, Martina, Williams, Keane e Baines; Schneiderlin, Gana e Davies; Klaassen, Rooney e Calvert-Lewin( Mirallas ).
Técnico: Ronald Koeman

MAN CITY: Ederson, Kompany, Stones e Otamendi; Fernandinho, Walker, Danilo, David Silva e De Bruyne; Agüero e Gabriel Jesus.
Técnico: Pep Guardiola.

Árbitro: Robert Madley
Local: Etihad Stadium
Data e hora: 21/08/2017 - 15:50
Transmissão: ESPN Brasil

sábado, 19 de agosto de 2017

Pós-Jogo: Everton 2x0 Hajduk Split


Na tarde de ontem (18), o Everton venceu o Hajduk Split por 2 a 0 e ficou muito próximo de garantir-se na fase de grupos da UEFA Europa League. A partida de volta será na próxima quinta-feira, na Croácia, e os Toffees podem até perder por um gol de diferença.

Aos seis minutos de partida, Mirallas tocou para Lookman, substituto de Sandro Ramirez. Ele cortou para o meio e teve a finalização bloqueada. Na cobrança, Mirallas achou Rooney na área, mas a cabeçada saiu por cima.

Aos doze, Martina tabelou com Rooney e cruzou rasteiro para a área, mas Klaassen não chegou a tempo para concluir. O gol aconteceu aos trinta minutos: Baines aproveitou rebote de escanteio, tabelou com Klaassen e cruzou na medida para Michael Keane cabecear e marcar pela primeira vez com a camisa dos Toffees.


Logo após o gol, a torcida do Hajduk Split começou a atirar cadeiras no gramado e agredir os seguranças. O árbitro paralisou o jogo até que a situação fosse controlada.

Torcedores do Hajduk Split causaram problemas em Goodison Park

Aos 45 minutos, Klaassen roubou a bola no campo de ataque e tocou para Rooney. Mesmo com pouco espaço, ele deixou Idrissa Gueye na cara do gol para ampliar a vantagem, com muita categoria.


No último lance da primeira etapa, Rooney recebeu a bola de Klaassen na grande área e tentou o chute colocado, mas o goleiro Stipica praticou boa defesa. Na volta para a segunda etapa, Koeman colocou Davies no lugar de Schneiderlin, que havia recebido cartão amarelo.

Na segunda etapa, aos quatro minutos, Martina cruzou para Rooney, que tentou de cabeça, mas mandou à direita da meta. Aos dezoito, Klaassen deu lugar a Calvert-Lewin na partida. Os visitantes chegaram com perigo aos 28', quando Hamza cortou para o meio e tentou a finalização colocada, mas jogou à esquerda do gol.

Aos trinta, Koeman promoveu a entrada de Besic no lugar de Mirallas. Seis minutos depois, Martina fez cruzamento para a área e Lookman exigiu ótima defesa de Stipica, mas o impedimento havia sido assinalado.

Aos 38', Erceg invadiu a grande área e chutou no canto, mas Pickford mandou para escanteio. Apesar de alguma insistência do Hajduk Split no ataque, o Everton não teve problemas em garantir a vantagem de dois gols.

O Everton volta a campo na próxima segunda-feira (21), às 16h (horário de Brasília), quando visita o Manchester City, pela segunda rodada da Premier League.

Estatísticas:


Everton
Hajduk Split
Posse de bola
65%
35%
Chutes
12
11
Chutes na meta
3
6
Escanteios
6
2
Faltas
16
8
Cartões amarelos
2
1
Cartões vermelhos
0
0

Melhores momentos:

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Pré-Jogo: Everton x Hajduk Split (Uefa Europa League 2017/18, 4ª fase-Playoffs)



Após vencer seu jogo de estreia contra na Premier League, no último sábado, o Everton volta suas atenções à Liga Europa. O clube receberá nesta quinta-feira em Goodison Park o Hajduk Split da Croácia. O confronto faz parte da última fase eliminatória antes da fase de grupos da competição continental. Apesar do calendário pesado das próximas semanas, Ronald Koeman declarou em sua coletiva que usará força máxima no duelo.

Novidades das equipes

O Everton não conta mais com Gareth Barry em seu elenco. O meio-campista transferiu para o West Bromwich no início desta semana. O atacante Sandro Ramírez ainda é uma dúvida para a partida.

Já o Hadjuk Split não poderá contar com o atacante Marko Futacs, que lesionou-se enquanto servia a seleção da Hungria na data FIFA.

Curiosidades

É a primeira vez na história que as duas equipes se enfrentarão.

O Everton venceu seus últimos três confrontos em casa válidos pela Liga Europa.

O Hajduk Split perdeu quatro dos últimos cinco jogos contra equipes inglesas.

Escalações prováveis

Everton: Pickford; Martina, Keane, Jagielka e Baines; Gana Gueye, Schneiderlin, Klaassen, Rooney, Sandro Ramírez (Mirallas) e Calvert-Lewin.


Hajduk Split: Stipica; Juranovic, Nizic, Lopez, Memolla; Radosevic, Barry, Gentsoglou; Erceg, Ohandza, Vlasic.

Transmissão: Canal oficial do Everton FC no YouTube - 16h05 (horário de Brasília)

terça-feira, 15 de agosto de 2017

A seleção dos dez anos de Everton FC Brasil


Há exatos dez anos atrás este espaço de encontro e compartilhamento de informações feito por torcedores do Everton foi inaugurado. O simples post inicial de apresentação marcou o início desse trabalho, que agora consegue alcançar um número bem grande de pessoas (não só) dentro do Brasil. A equipe por trás do projeto foi constantemente mudando durante os anos, mas todos os que contribuíram tiveram igual importância para que chegássemos nessa marca.

Como uma forma de comemorar essa data e relembrar parte da história do blog, montamos uma seleção dos dez anos do Everton FC Brasil. Na lista abaixo estão os onze melhores/mais importantes jogadores que vestiram a camisa do Everton nos últimos dez anos.

Apesar da sedutora oportunidade de montar a equipe no brilhante 4-6-0 de David Moyes, optamos por o time em um legítimo 4-4-2 inglês:

Goleiro: Tim Howard


O norte-americano chegou ao Everton emprestado pelo Manchester United em 2006. Suas atuações foram tão convincentes que o clube acabou contratando-o em definitivo já em janeiro de 2007. Howard fez quatrocentas e quinze aparições com a camisa azul e tem em seu currículo, além das grandes partidas, é claro, o curioso fato de ter marcado um gol, contra o Bolton, na temporada 2011-2012.


Lateral-direito: Seamus Coleman



O Everton pagou em 2009 sessenta mil libras, isso mesmo, para tirar o jogador do Sligo Rovers da Irlanda. Após um empréstimo ao Blackpool, Coleman começou a aparecer no time principal sendo utilizado como winger (ponta) pela direita. Seamus só firmou-se como lateral-direito a partir da temporada 2012/2013 e, de lá para cá, tornou-se um dos melhores de sua posição no mundo.


Zagueiro: Joseph Yobo



Yobo chegou ao Everton em 2002, vindo do Marseille, após a Copa do Mundo da Coreia do Sul/Japão. O nigeriano atuou duzentas e cinquenta e oito vezes pelo Everton, tendo anotado dez gols. O zagueiro tinha fama de lento, mas era muito técnico para um jogador da posição. Joseph passou  a maior parte da sua cerreira no Everton (dez anos).


Zagueiro: Phil Jagielka



O atual capitão da equipe recém completou dez anos de casa. Phil deixou o Sheffield United em 2007 para entrar na história do Everton. O inglês tornou-se capitão em 2013, após a aposentadoria de Phil Neville. Já na parte final de sua carreira, Jagielka merece terminar seu ciclo com um título nesta temporada.


Lateral-esquerdo: Leighton Baines



Provavelmente o jogador de maior nível dessa escalação, Leighton Baines, assim como Jagielka (e o blog), também acabou de completar dez anos de Everton. Desde que deixou o Wigan para juntar-se ao lado azul de Liverpool, o lateral passou a ser um expoente técnico da equipe, sendo considerado por muitos (não tão contaminados por exageros midiáticos das grifes) o grande jogador da sua posição no mundo entre 2012 e 2014. Apesar de não atuar mais no altíssimo nível de outrora, Baines continua contribuindo muito para a equipe.


Meio-campista: Marouane Fellaini



Fellaini chegou ao Everton em 2008 como a contratção mais cara da história do clube, na época. O valor de quinze milhões de libras pago ao Standard Liege mostrou-se bem despendido nas cento e setenta e oito partidas disputadas pelo belga, onde anotou quarenta e seis gols. Sua versatilidade permitiu que David Moyes o utilizasse em praticamente todas as posições do meio de campo para a frente. Longe dos memes e das duras criticas ao seu futebol, Fellaini foi muito bem em sua passagem pelo Everton.


Meio-campista: Mikel Arteta



O espanhol vestiu pela primeira vez a camisa do Everton em janeiro de 2005, quando foi emprestado pela Real Sociedad, e logo dominou o meio de campo dos Blues, sendo fundamental para o clube alcançar uma vaga na Champions League da temporada seguinte. Ainda em 2005, o Everton acertou sua contratação em definitivo por dois milhões de libras. O meio-campista de técnica apurada atuou pelo Everton em duzentas e onze partidas e anotou trinta e cinco gols em seis anos como o maestro da equipe, até se transferir para o Arsenal em 2011.

Meio-campista/ponta: Leon Osman


Durante toda a sua carreira, Leon Osman só teve vínculo com o Everton, mas chegou a vestir outras camisas. Além dos Toffees, o meia atuou emprestado ao Carlisle United e ao Derby County. Osman sempre foi um jogador muito técnico e inteligente. Talvez, o inglês tenha acabado ficando de lado em convocações da seleção inglesa, por exemplo, por conta de jogadores excepcionais de sua geração como: Gerrard e Lampard. Tendo sido convocado pela primeira vez somente aos trinta e um anos. Contudo, Leon sempre mostrou sua qualidade nos quatrocentos e trinta e três jogos que disputou com a camisa do clube, onde anotou cinquenta e oito gols.

Meio-campista/ponta: Steven Pienaar


Pienaar foi outro jogador que primeiro passou por um período de empréstimo (2007) para depois ser contratado pelo clube (2008). Vindo do Borussia Dortmund, Steven chegou mostrando sua habilidade e principalmente, começava a entrosar-se com Baines no lado esquerdo, o que no futuro seria uma das grandes duplas dos últimos anos no futebol inglês. Steven, infelizmente, sempre sofreu muito com lesões em sua carreira, o que explica o número baixo de jogos com a camisa do clube contando quase oito anos de casa. Foram duzentos e trinta jogos e vinte e cinco gols marcados. Sendo divididos em duas passagens, já que o sul-africano foi vendido ao Tottenham em 2011, onde acabou ficando apenas uma temporada antes de retornar ao clube.

Meia/atacante: Tim Cahill


O maior jogador da história da Austrália deixou o Millwall em 2004 para tornar-se um verdadeiro ídolo na história do Everton. Com uma técnica acima da média e um espirito brigador, Cahill conquistou os corações do torcedores dos Toffees durante sua passagem de oito anos. Ao todo foram duzentas e setenta e sete aparições e cinquenta e oito gols, sendo o terceiro maior artilheiro do clube na era Premier League. Difícil não sentir saudade da emblemática imagem de Tim "lutando boxe" com a bandeirinha de escanteio nas comemorações de seus gols.


Atacante: Romelu Lukaku



O maior artilheiro do Everton na era Premier League, Romelu Lukaku veio inicialmente para o clube em um empréstimo junto ao Chelsea em 2013. O belga marcou dezesseis gols naquela temporada e acabou sendo contratado em definitivo em 2014 por vinte e oito milhões de libras, tornando-se a contratação recorde do clube na época. Lukaku anotou oitenta e sete gols em cento e sessenta e cinco partidas com a camisa do Everton.

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Com o perdão do clichê: Venceu, mas não convenceu!


Finalmente começou a temporada!

Para a nossa alegria, os Toffees estrearam na Premier League e começaram ganhando. Era um dia de sol em Liverpool e tudo apontava para um grande jogo do Everton. Tudo apontou para o lado errado, entretanto. O jogo foi morno, fraco e principalmente chato de assistir no primeiro tempo.

Koeman começou com os três zagueiros jogando atrás. Três jogadores pesados, lentos e sem uma grande saída bola, isso pesou na primeira etapa. O time repetiu várias características e erros que assolaram a equipe na pré temporada. Nossas piores desconfianças se concretizaram! O time estava lento, sem grande movimentação e muito óbvio. Estava sólido defensivamente, mas não conseguia valer a condição de mandante. Muito “chutão” para frente mostrava um time perdido e nervoso.

Já no apagar das luzes do primeiro tempo, os jogadores lembraram-se que são uma equipe e jogaram como tal. Gueye pegou a bola no meio campo, tocou para Rooney que devolveu para ele, de primeira o senegalês passou para Sandro, que com um driblinho safado e seco tirou o marcador e rolou para Calvert-Lewin que cruzou na cabeça de Rooney que estufou a rede de Butland! O Shrek voltou!

A alteração tática do segundo tempo resultou em uma melhora no time. A linha de 3 zagueiros foi desfeita com a entrada de Martina no lugar de Williams e o time melhorou como um todo. Não ficou nada espetacular, mas melhorou. Klaassen fez um jogo bem ruim e estava muito perdido e bem marcado, por isso, quase não apareceu. Davies entrou em seu lugar e melhorou um pouco a movimentação.


Assim seguiu-se até o final do jogo. Poucas chances para ambos os lados, um jogo bem mais ou menos. Porém, Pickford salvou de um empate e até de uma derrota. Foi exigido duas vezes nos minutos finais e foi muito bem. Destaque para a linda defesa nos últimos lances de uma bomba de Shaqiri.

O que podemos concluir desse jogo? Venceu, mas não convenceu. Foi uma exibição pobre, lenta e muitas vezes errática. Os grandes destaques da partida foram Gueye e Schneiderlin que marcaram muito bem e foram bons passadores, mas pouco acrescentaram à velocidade tão necessária para esse time. Se querem brigar pelo sonho da Champions League, vão precisar melhorar, e muito. 

domingo, 13 de agosto de 2017

Pós-Jogo: Everton 1x0 Stoke City (Campeonato Inglês 2017/18, 1ª rodada)

Em sua reestreia, Rooney garantiu a vitória do Everton
4837 dias depois, Wayne Rooney voltou a disputar uma partida de Premier League pelo Everton em grande estilo - marcando o gol da vitória mínima sobre o Stoke City, na estreia da Premier League 2017/18. O jogo no Goodison Park também marcou a primeira aparição de Pickford, Keane, Klaassen, Sandro e Martina com a camisa dos Toffees no Campeonato Inglês.

Na próxima quinta-feira (17), o Everton vai receber o Hajduk Split, da Croácia, em jogo válido pelos playoffs da UEFA Europa League. No Campeonato Inglês, os Toffees medirão forças contra o Manchester City, segunda-feira (21), no Etihad Stadium.

O jogo começou em marcha lenta. O Everton estava muito perdido, principalmente no meio de campo. Enquanto isso, os visitantes neutralizavam as poucas jogadas ofensivas dos Toffees e chegavam com mais qualidade na frente. Mesmo assim, as primeiras chances da partida foram de Gueye. Aos 16', o volante cortou a marcação e bateu para defesa de Butland. Na sequência chutou para fora a sobra de um escanteio.

Pickford salvou o Everton com grande defesa no final
O Stoke respondeu aos 35', quando Williams falhou na hora de cortar e tomou um lençol de Diouf. O meia bateu mascado. No mesmo minuto, Bojan fez grande jogada pela esquerda, mas chutou por cima do gol de Pickford.

O Everton abriu o marcador quando o jogo se encaminhava para o intervalo. Gueye tabelou com Rooney e passou para Sandro. O espanhol girou e abriu na direita para Calvert-Lewin. O jovem atacante cruzou na medida para Rooney cabecear no contrapé de Butland. 

Everton voltou diferente para a segunda etapa, tanto na postura quanto na escalação. Williams deu lugar para Martina. O Everton voltou mais ligado, defensivamente seguro, com destaque especial para grande partida de Gueye. No ataque, os mandantes tiveram boas chances para ampliar o marcador nos contra-ataques.

Torcedor mirim com a camisa 10 de Rooney
Aos 54', Rooney deu bom passe para Calvert-Lewin, que demorou para chutar e foi bloqueado por Zouma. Sandro Ramirez entrava livre na direita, mas o jovem atacante preferiu o chute. 10 minutos depois, Cavert-Lewin roubou a bola no ataque e bateu para defesa de Butland. Mais uma vez, o camisa 29 poderia passar a bola, Rooney e Sandro entravam de frente pro gol.

No último lance da partida, Cameron roubou a bola no campo de defesa do Stoke, avançou e soltou para Saquiri. O meia arrancou até a entrada da área e soltou o pé. Pickford voou para garantir os três pontos do Everton. 

Estatísticas:


Everton
Stoke City
Posse de bola
61%
38%
Chutes
9
9
Chutes na meta
4
1
Escanteios
6
7
Faltas
13
10
Cartões amarelos
1
1
Cartões vermelhos
0
0

Confira o único tento da partida: espn.uol.com.br/video

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Pré-Jogo: Everton x Stoke City (Premier League 2017/18, 1ª Rodada)


O Everton prepara-se para iniciar a temporada mais esperada dos últimos anos. A forte atuação no mercado, apesar de ainda restarem lacunas no elenco, empolgou bastante a torcida. O retorno de Rooney, somado aos outros bons jogadores que chegaram em Goodison Park, como Jordan Pickford, Davy Klaaseen e Sandro Ramírez, trouxeram mais peso ao clube. Que agora precisa demonstrar sua força logo na primeira partida da Liga. Até porque acabou deixando um pouco a desejar nos amistosos e nas duas partidas contra o Ruzomberok, pela Liga Europa. Chegou a hora de Ronald Koeman e seus comandados mostrarem em campo o que o Everton pode fazer nesta temporada.

Novidades das equipes

O Everton tem cinco desfalques motivados por lesões para o confronto de sábado: Bolasie, Coleman e Funes Mori ainda recuperam-se de lesões mais sérias e ficarão afastados por um bom tempo. McCarthy e Barkley já retornaram aos treinos, mas ainda não estão em condições de jogo.

Já o Stoke não poderá contar com os meio-campistas Ireland e Affelay.

Curiosidades

O Everton iniciou as últimas quatro temporadas com um empate.

Apenas Frank Lampard e Alan Shearer (8 gols) marcaram mais vezes que Wayne Rooney (7 gols) em primeiras rodadas da Premier League.

A última vitória do Stoke em sua partida de abertura aconteceu em 2009.

Escalações prováveis

Everton: Pickford; Holgate, Keane, Williams e Baines; Gana, Schneiderlin e Klaassen; Rooney, Mirallas e Sandro Ramírez.

Stoke: Butland; Johnson, Shawcross, Zouma e Pieters; Allen, Fletcher, Shaqiri, Krkic, Choupo-Moting e Berahino.

Transmissão:
ESPN Extra (Sky) e Watch ESPN (internet) - 11h00 (Horário de Brasília)

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Que venha a temporada!


Alívio é o que sentimos quando percebemos que estamos a menos de uma semana para a volta da Premier League. A competição internacional que mexe com nossos corações estará de volta já nessa sexta. A partida entre Arsenal e Leicester será o pontapé inicial de uma temporada que promete ser uma das mais emocionantes dos últimos tempos, devido ao grande número de reforços que a maioria dos times trouxe para si. Estamos felizes com a volta do campeonato. Mas mais especificamente, nós, torcedores do Everton, estamos um pouco preocupados.

Preocupados com um pouco do que a pré temporada nos mostrou. Claro, pré temporada é pré temporada. Não é oficial. O ritmo não é o mesmo. Sabemos disso tudo, mas mesmo assim não faltam motivos para preocupação. No último ano, os Toffees estavam apenas disputando o campeonato nacional e as copas domésticas. Agora a Europa League será mais um compromisso para encher a agenda do clube. É uma competição importante que deverá ter espaço especial no planejamento de Ronald Koeman.

O maior motivo de preocupação, talvez, seja o ritmo que foi apresentado pelos atletas seja nos amistosos, seja nos jogos contra o Ruzomberok pela Liga Europa. O time está assustadoramente lento. Com um meio reforçado defensivamente, uma zaga experiente e um bom goleiro, a parte defensiva não parece ser uma grande ameaça, embora haja bastante o que melhorar ainda. O problema real parece estar na parte da criação e ataque. Ramirez mostrou que pode ser um jogador ágil, com movimentação e velocidade, mas sua falta de experiência mostra que ainda precisa aprender a se movimentar melhor, pois fica nítido o quanto o espanhol por vezes “corre errado”, preferindo caminhos mais longos e difíceis. 


Com a saída de Lukaku que, mesmo sendo pesado, conseguia ganhar na força e na velocidade dos adversários o time perde uma característica importante da última temporada. Deulofeu e Valencia, duas armas de velocidade, também não estão mais no elenco. A iminente debandada de Barkley que acelerava o jogo e as ausências de Coleman e Bolasie deixaram o time de Koeman mais posicional e estático do que o da última temporada. As contratações pouco somaram nesse aspecto. Klaassen e Rooney são bons com a bola nos pés, mas são muito lentos e Martina não é exatamente um lateral com bons níveis de apoio.

Deixar tudo nas mãos dos jovens Lookman e Calvert-Lewin parece ser um tiro no pé, dada a falta de experiência de ambos. Com poder de fogo para contratar bons jogadores, os Toffees deveriam priorizar rapidamente a compra de pelo menos um jogador de bom calibre para ser essa opção de velocidade pelas pontas ou pelo meio.

Entretanto, nem tudo é tristeza. O trabalho de Koeman na última temporada se mostrou sólido. Há muito a ser corrigido, mas só o fato de o Goodison Park ter voltado a ser um dos estádios mais temidos da Premier League já é um bom trunfo. Há quem diga que isso não é mais que a obrigação. Porém, é sensato olhar como uma primeira temporada de um ótimo técnico que tem tudo para fazer o time ainda mais competitivo nessa temporada.


O primeiro jogo da competição é contra o Stoke City, em casa. É quase uma obrigação ganhar, levando em conta que a equipe de West Midlands conta com um elenco não muito qualificado e, além de tudo, perdeu jogadores importantes. É hora de ir pra cima e fazer, por mais uma temporada, o Goodison Park tremer e impor sua força.

Vamos para cima, Toffees! Que venha a temporada!

sábado, 5 de agosto de 2017

UEFA Europa League - Raio-x: Hajduk Split


Na manhã de sexta-feira (04), foi realizado o sorteio dos playoffs da UEFA Europa League. O Everton enfrentará o Hajduk Split, da Croácia, valendo uma vaga na fase de grupos. Os demais confrontos podem ser vistos aqui.

A exemplo da fase anterior, os Toffees jogarão a primeira partida em casa. Confira as datas e horários dos jogos:

17 de agosto: Everton x Hajduk Split - Goodison Park - 16h05 (horário de Brasília)
24 de agosto: Hajduk Split x Everton - Stadion Poljud - 16h (horário de Brasília)

Agora, conheça um pouco mais sobre nossos adversários.


HNK Hajduk Split

Nome completo: Hrvatski Nogometni Klub Hajduk Split S. D. D.
Apelido: Bili (Brancos)
Cidade: Split, Croácia
Fundação: 1911 (106 anos)
Estádio: Stadion Poljud (34,198 espectadores)
Ranking UEFA: 137º
Elenco: aqui

Para chegar aos playoffs, o Hajduk Split eliminou o Levski Sofia, da Bulgária, e Brondby, da Dinamarca. Assim como o Everton, ainda está invicto na competição (três vitórias e um empate). É bastante tradicional em seu país: possui seis campeonatos nacionais, sendo o último na temporada 2004/05, além de seis copas e competições da antiga Iugoslávia. Atualmente, ocupa a terceira colocação na Croatian First Football League.

Esteve presente na UEFA Europa League e sua predecessora, UEFA Cup, nas últimas onze temporadas, mas alcançou a fase de grupos apenas em 2010/11. Este será o primeiro confronto entre Everton e Hajduk Split. O confronto mais recente da equipe croata com um clube inglês aconteceu na temporada 2011/12, tendo sido eliminada da Europa League pelo Stoke City.

Dentre os destaques da equipe, estão o atacante Ante Erceg, autor de três gols na competição e o zagueiro e capitão Zoran Nižić, recentemente convocado para a seleção croata. O único brasileiro presente no elenco é o zagueiro Gustavo Carbonieri.

Curiosamente, nas últimas três edições da Europa League, o Hajduk Split foi eliminado exatamente nesta fase.

O que você achou deste sorteio? Deixe aí nos comentários. COYB!

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Pós-Jogo: Ružomberok 0x1 Everton


Após outra exibição pouco convincente, o Everton voltou a vencer o Ružomberok pela margem mínima e garantiu a classificação para os playoffs da UEFA Europa League. O sorteio dos confrontos será realizado amanhã (04), às 8h (horário de Brasília), e a repercussão será feita em nosso blog.

A primeira iniciativa ofensiva foi dos donos da casa. Aos cinco minutos, escanteio na área e Jan Maslo cabeceou por cima. Aos dez, Daniel tentou o cruzamento para a pequena área e Pickford precisou intervir, sem maiores riscos. 

O Everton chegou pela primeira vez no ataque aos 16', em jogada que contou com a parcicipação de Klaassen, Sandro Ramírez e Rooney, e terminou com a finalização do inglês, por sobre a meta. Aos trinta minutos, Davies roubou a bola no campo de ataque e tocou para Sandro Ramírez, que invadiu a área e teve a finalização bloqueada. 

Na segunda etapa, aos oito minutos, Daniel cruzou para a área e quase surpreendeu Pickford, mas a bola cruzou toda a extensão da área e saiu pela linha de fundo. Ronald Koeman fez a primeira alteração aos 24', promovendo a entrada de Calvert-Lewin na vaga de Sandro Ramírez. Aos 34 minutos, em contra-ataque, Klaassen serviu Calvert-Lewin, que invadiu a área e chutou no canto, marcando o gol da partida.


Com a classificação praticamente assegurada, Koeman colocou Barry e Mirallas nas vagas de Schneiderlin e Rooney, respectivamente. Sem mais sustos, bastou controlar o jogo até o apito final, para garantir a vaga nos playoffs e fazer a alegria dos Toffees que viajaram até a Eslováquia.


Estatísticas:


Ružomberok
Everton
Posse de bola
38%
32%
Chutes
4
12
Chutes na meta
0
2
Escanteios
4
3
Faltas
13
7
Cartões amarelos
0
0
Cartões vermelhos
0
0

Melhores momentos: 

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Pré-Jogo: Ruzomberok x Everton (Uefa Europa League 2017/18, 3ª fase-Playoffs, volta)



Amanhã é dia de decisão para os Toffees. Com a temporada ainda engatinhando, o Everton joga para continuar vivo na Europa League e assim evitar a vergonha de ser eliminado pelo Ruzomberok.

A verdade é que na semana passada vários times de ligas bem inferiores complicaram a vida de clubes mais tradicionais, mas o nível de investimento e o peso da camisa tem que prevalecer nas partidas de volta que já começaram hoje.

Vale ressaltar que devido ao inicio do calendário, o técnico Ronald Koeman mandou a campo na última quinta feira uma equipe formada por jogadores que estavam em boas condições físicas. É natural que com o trabalho dos últimos dias, mais atletas estejam em melhor forma para atuar no duelo. O Ruzomberok por sua vez, já está jogando partidas pelo campeonato nacional e por isso fica um pouco a frente nessa questão.

O resultado de 1x0 do primeiro embate permite ao Everton avançar para a próxima fase da competição no caso de qualquer igualdade no placar, de derrota por um gol de diferença desde que marque pelo menos um tento durante os 90 minutos e obviamente de qualquer vitória.
Em caso de prorrogação o gol qualificado continua valendo a favor dos Toffees durante o tempo extra.

Na entrevista pré jogo, Ronald Koeman confirmou o jovem arqueiro Pickford como titular.
Sobre a vantagem, o treinador holandês disse que não vai defender o resultado e que espera criar mais chances do que na primeira partida.
RK também ressaltou a necessidade de total atenção com as bolas paradas do adversário, esse tipo de lance incomodou bastante o Everton no jogo de Goodison Park.

Sandro entrou bem no 1º jogo e pode aparecer no time titular.
Prováveis Escalações
Everton: Pickford, Martina, Williams, Keane e Baines; Schneiderlin, Gana e Klaassen; Rooney, Mirallas e Sandro.
Técnico: Ronald Koeman

Ruzomberok: Macík, Peter Maslo, Ján Maslo, Kruzliak e Kupec; Takác, Qose e Kochan; Eric Daniel, Andrezli e Haskic.
Técnico: Norbert Hrncár


Ruzomberok vs Everton
Data: 3/08/2017
Horário: 15:45
Local: Pod Cebrat'om Stadium
Árbitro: Michael Tykgaard
Transmissão: ESPN +